COMO TER UM GUARDA-ROUPA SUSTENTÁVEL

Quer uma dica de moda para 2019 e 2020? Seja um consumidor consciente! Seu bolso agradece, seu guarda-roupa agradece. Quem está te falando isso sou eu, comunicadora há 17 anos e consultora de estilo há cinco. Eu sei o que a publicidade quer – te influenciar, para ser eufemística – e eu sei como podemos ser felizes e estilosos com NOSSAS PRÓPRIAS ESCOLHAS.

Está chegando a Black Friday, uma daquelas datas que te estimulam a gastar o que não tem ou não precisa. Esse é um dos maiores erros nesses tempos de sustentabilidade e responsabilidade social. Nosso planeta não comporta mais exploração nem descarte de materiais. Nossas pessoas precisam olhar mais para si, valorizar o humano. O estilo pessoal é maior que a moda e você pode ter roupas bonitas, de qualidade, que te representam, sem ter um guarda-roupa abarrotado ou cheio de peças que não te servem (para seu gosto e seu corpo). Então, sem ter um critério rígido estilo Esquadrão da Moda, mas usando bom senso e informação, vamos para dicas de moda que importam: como ter um guarda-roupa sustentável!

1. Conheça seu estilo!
Estamos na era do autoconhecimento. Nunca se falou tanto disso e não á toa. O indivíduo conta na era do consumo massificado. Você pode e deve conhecer seus gostos, analisar sua rotina, identificar o que quer comunicar. A partir disso, terá mais clareza sobre seu estilo. Dicas de moda e tendência são ótimas, refrescam o olhar, mas você tem que ter um filtro: o que serve para mim?

2. Informe-se!
Um guarda-roupa sustentável deve estar recheado de informação. Ou seja, você tem que saber a história de cada peça de roupa ali dentro: quem a produziu, como, onde, qual tecido é feita, como cuidar dela. A gente tem que saber o que tem e para que isso vai nos servir. Comprar com assertividade e tentar sempre privilegiar marcas que preservam o meio-ambiente, valorizam o trabalho humano e entregam produtos de qualidade.

3. Experimente os brechós
Temos que evitar o descarte. Quanto mais uma roupa durar com a gente ou circulando e sendo usada por alguém, melhor. Compre de brechós! Segundo o relatório “A new textiles economy: Redesigning fashion’s future”, feito pela MacArthur Foundation, com o apoio da estilista Stella McCartney, a cada segundo, o equivalente a um caminhão de lixo cheio de sobras de tecido é queimado ou descartado em aterros sanitários. Por ano, 500 bilhões de dólares são jogados fora com roupas que foram pouquíssimo usadas.

4. Monte um guarda-roupa atemporal
A qualidade das roupas é fundamental, mas se você quer uma dica de moda que vale ouro mesmo, pega essa: escolha peças atemporais. São aquelas roupas que ultrapassaram a fronteira das tendências de moda e conseguiram seus lugares em todas as coleções, seja qual for a estação do ano. As que chamamos de coringas, básicas ou clássicas. Essas peças atemporais ajudam a ter um guarda-roupa inteligente porque permitem combinações diversas (em estilo variados) e nuca “saem de moda”. Essas peças valem o investimento em promoções e liquidações, por exemplo. Mas, comprando o que você gosta, precisa e não tem.

5. Cuide das suas roupas

Valorize o que você tem. Ao saber gastar, você vai aprender a valorizar. Não é difícil imaginar que um vestido em promoção por R$ 15 deve ter sido feito com o prejuízo de algo: do salário de alguém ou em detrimento do meio-ambiente. Tem marcas, como a Catarina Mina, que abrem o custo de seus produtos.

Por isso, aprenda a cuidar das suas roupas e acessórios. Dicas de lavagem, secagem, passar… são dicas de moda importantes.

6. Aprenda a variar seus looks!
Se você já tiver feito sua autoanálise e identificado seu estilo pessoal, usar a criatividade vai ser divertido e fácil. Ferramentas que te ajudam nisso são os painéis do Pinterest e os posts salvos no Instagram, onde você pode ir montando pastas de inspiração. Siga pessoas que tragam informação em de moda, como eu! Uma consultora de estilo! Saber aproveitar as próprias roupas traz empoderamento, faz seu guarda-roupa ser único e inteligente. Dica de ouro essa!

7. Repense como você gasta o seu dinheiro.
Comprar menos e com mais assertividade é fundamental. Compre com estratégia, pensando e não por impulso. Essa dica é mais do que uma dica, é um ensinamento, um treinamento, algo que vou passando ao longo de toda a consultoria para as minhas clientes.

Invista em uma consultoria de estilo: aprender a se relacionar com a sua imagem, entender que roupas são ferramentas de comunicação, que seu visual te conecta com o mundo são fundamentais. Com esses conceitos evidentes, o estilo pessoal sobressai, brilha, passa a fazer parte da pessoa, tal como sua personalidade. Com isso, comprar roupas se torna um novo hábito, algo feito com prazer e responsabilidade. E não com impulso e sofrimento