Direto da passarela: como usar cores neutras

As semanas de moda estão a todo vapor no exterior. Já tivemos os desfiles em Nova York e Londres, a temporada primavera-verão 2019 na capital inglesa foi a mais recente e nesta semana começaram as apresentações dos estilistas em Milão. O mês termina com a semana de moda de Paris.

Tem muita coisa interessante que podemos observar nestas semanas. Além dos trabalho artístico de muitos profissionais, podemos ver na passarela algumas interpretações de como as pessoas estão se expressando nas ruas, pois as marcas estão se aproximando dos clientes e tentando captar o Zeigeist (termo alemão cuja tradução significa espírito da época, espírito do tempo ou sinal dos tempos).

Das marcas que já desfilaram, a que mais me chamou a atenção e que acho que pode ser útil a você, meu cliente que está sempre ligado no Zeigeist e quer praticidade, foi a Burberry. Marca inglesa fundada em 1856, foi lá que inventaram uma das peças mais icônicas da indumentária humana, o trench coat. Para este desfile, anunciaram a chegada de um novo estilista, Riccardo Tisci, designer italiano, que esteve à frente da Givenchy por 12 anos. Sua chegada à casa de moda inglesa foi cercada de burburinho. O mais importante, foi o anúncio de que a Burberry não vai mais queimar os estoques não vendidos (US$ 38 milhões em produtos foram incinerados em 2018 para evitar contrabando e falsificação, segundo a empresa).

Considerada uma surpresa, a vinda de Tisci foi uma realização do novo CEO da Burberry, Marco Gobbetti. Os dois já haviam trabalhado juntos na Givenchy. A decisão foi bem recebida no mercado: as ações da Burberry subiram 4% logo após a divulgação da notícia.

Bom, vamos falar agora do desfile de estreia de Tisci (que apresentou 138 looks masculinos e femininos). O experiente estilista soube fazer um trabalho autoral que não tirou o DNA da marca: clássico. Deu seu toque de contemporaneidade, mas soube preservar a elegância e a tradição que a Burberry carrega. Trouxe as cores de seu icônico xadrez – bege, vermelho, branco e preto – valorizadas e combinadas entre si de forma maestral. Também combinou estampas clássicas como animal print e poá. É aqui que pretendo mostrar para você como podemos tirar lições das passarelas.

Um look monocromático valoriza a cor escolhida para tanto. Se for um neutro como os escolhidos para a coleção da Burberry, a leitura que se tem é de elegância. Isso porque, há pouco ruído visual num look monocromático, há suavidade para o olhar transitar. Da mesma forma, neutros combinados entre si também são elegantes. São cores consideradas básicas, “boas”, que quem te olha provavelmente gosta e se sente confortável. Porém, quando combinadas entre si trazem mais sofisticação, criatividade.

Quanto mais doses de cores escuras, mais imponência e autoridade. Quanto mais doses de cores vibrantes, no caso aqui o vermelho, mais sensualidade, dinamismo, assertividade. Os neutros nos dão muitas formas de estar interessante visualmente e comunicando mensagens distintas. Por isso, quem gosta de ter um guarda-roupa básico não precisa ter monotonia.

E você o que achou desta proposta da Burberry?

Não deixe de interagir comigo. Gosto de trazer temas que interessem aos meus clientes e amigos. Me responda aqui ou em minhas redes sociais Instagram e Facebook (onde sempre trago novidades quentes).

Fotos: divulgação

Posted in Consultoria de Estilo and tagged , , , , , , , , , , , , , , , .

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *